Tabagismo: o suicídio legal

Luke DeWitt

Nos últimos 50 anos, o governo dos Estados Unidos tem deixado morrer milhões e milhões de pessoas cujas mortes poderiam ter sido prevenidas. As pessoas que morreram não tinham que morrer. Não lutaram numa guerra para defender seu país. Não tinham uma doença sem cura. Essas pessoas morreram porque o governo se recusa a banir uma substância mesmo que todos saibam que mata mais de 400,000 pessoas cada ano. Claro que falo do tabaco. É incompreensível que no ano 2016 ainda permitamos a venda e o consumo de algo completamente destrutivo.

Por volta do ano 1960, o Cirurgião Geral (Surgeon General) dos Estados Unidos, a maior autoridade em assuntos de saúde, publicou o primeiro estudo realizado sobre os efeitos do tabagismo, ou seja, o uso de tabaco. Já estamos no século XI e todos sabemos irrefutavelmente que o tabaco causa câncer, enfisema, bronquite crônica, hipertensão e uma quantidade extrema de outras doenças respiratórias e cardiovasculares, a maioria das quais podem provocar uma morte prematura, ademais de ser evitável. Com toda a evidência disponível sobre os efeitos colaterais do tabaco, como pode ser que tantas pessoas ainda o fumam?

Na verdade, não tenho muito problema com que as pessoas escolham fumar. Não tenho o direito de tirar a liberdade de ninguém e, se eles realmente querem destruir sua própria saúde, não é assunto meu. Mas eu não posso suportar que eles também ocasionem a morte de tantas pessoas inocentes. De acordo com as estatísticas do CDC, mais de 40,000 pessoas morrem anualmente nos Estados Unidos por causa de tabagismo passivo, ou seja, entre as pessoas que não usam nenhum produto de tabaco. O assunto volta mais chocante quando é comparado com o tema de armas de fogo.

Em todo o país, muitos reclamam contra as armas, dizendo que se podemos salvar tão só uma vida, vale a pena banir as armas. Na realidade, o tabagismo passivo sozinho mata quatro vezes mais pessoas do que armas, segundo uma reportagem do CDC. Quatro vezes mais! Nem falamos dos outros 360,000 mortos pelo tabaco. Onde ficaram os guerreiros da justiça social? Se querem salvar vidas, por que não lutam contra o tabagismo? É um dos maiores problemas neste país, e certamente o maior problema com respeito à nossa saúde. Quanto tempo mais vamos deixar que tantas pessoas se matem sem razão? Unamo-nos contra o tabagismo para termos um melhor amanhã.

Advertisements

4 thoughts on “Tabagismo: o suicídio legal

  1. Concordo com você! Eu tenho familiares que expõem a seus filhos ao tabagismo passivo e não os compreendo. Acho que a indústria do tabaco tem muito poder no sistema político e essa influência sobre os políticos não deixa que eles banirem o tabaco.

    Like

  2. Gostei muito do seu texto! Você fornece argumentos bem elaboradas. Porém, realmente podemos dizer que a culpa dos mortos e do governo? Ou é a culpa das pessoas que sabem as consequências, mas continuam a fumar? Quando você fala da responsabilidade do governo, você inclui o número das pessoas que morreram por causa de fumar. Eu concordo que o tobaco é horrível, e por causa do tabagismo passivo, eu também acho que deve ser proibido.
    -Vicente

    Like

  3. Concordo completamente. Não podemos interferir com a liberdade do povo – cada pessoa tem o direito de escolher fumar o não fumar. Entretanto, precisamos tomar precações para que as pessoas que não escholham fumar não sejam expostas aos efeitos daninhos de tabagismo. Acho que devemos regular mais onde o povo pode fumar, especialmente em casos relacionados a crianças, que não podem evitar o tabagismo de seus pais.
    -Savannah Pearson

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s