o sonho fantástico

Ofelia estava cansada depois de uma semana estressante na universidade: queria dormir por um século. Sonhando com sua cama, decidiu caminhar para casa para estar sozinha com a natureza e seus pensamentos para ver se podia se acordar. Caminhou e caminhou até que notou que não conhecia mais onde ela estava. Olhou ao seu redor e viu árvores pretas com os ramos pendurando e balançando no vento. Eram tão altos que não podia ver o céu. Não tinha medo, mas não sabia que fazer. De repente, ouviu o farfalhar das folhas. Ela não estava sozinha. Se virou e viu um brilho estupendo cegando ela por pouco minutos. Quando ganhou a visão, ela estava cercada por fadas mágicas. Ofelia ficou confusa, o que estava ocorrendo? Era uma fantasia? Podia ser que ela tivesse desmaiado, não sabia o que pensar agora.

As fadas rodearam em torno dela até que ela não estava na floresta, mas a transportavam a um palácio esplêndido. Ela estava confusa mas fascinada com o que estava ocorrendo. Mirou a seus pés e notou que não estava nos seus vestidos. As fadas mudaram sua roupa também, ela estava em uma fantasia de uma princesa egípcia. Que raro! Mas ela não estava sozinha agora, muitas pessoas estavam caminhando para o palácio, todos em fantasias diferentes. Agora ela lembrou que era a noite de Halloween, as fadas a trouxeram a uma festa de fantasias. Sem saber que fazer, ela seguiu as pessoas e entrou no palácio.

Parecia como um sonho, o interior do palácio era grandioso, cristais caíam do teto como gotas de chuva, tudo brilhava com a luz das velas. Ofelia não conhecia ninguém, era uma mulher tímida e reservada, mas aqui ela se sentia como uma pessoa diferente. Começou a falar com pessoas, todos com uma história diferente. Com isso ela notou que ninguém era verdadeiro, havia pessoas que eram bruxos, algumas pessoas que podiam mudar-se em lugar a lugar com só um estalo de dedos. Ofelia estava em um mundo diferente, completamente irreal.

Por um só momento quando ela estava sozinha, alguém agarrou a mão dela. Se voltou e viu um homem alto e tão bonito que agora confirmou que ela estava sonhando. Ele tinha a mesma fantasia dela, era um príncipe egípcio. Quando ele falou a ela, ela não podia falar. Ele tirou o fôlego dela. Só olhando em seus olhos, Ofelia já ficava apaixonado dele. Dançaram por toda a noite. Ela não queria que a noite terminasse, mas ela sabia que tudo ia acabar porque não era real. Mas no momento ela não pensava nisso. Ela deixou que o momento com Joaquim, seu príncipe egípcio, durasse para sempre.

De repente, tudo se suspendeu, todos pareciam congelados. Ofelia tocou o braço de Joaquim e ficava gélido, ele não mudava, como se estivesse petrificado. Quando ela tocou o seu braço, ele virou pó. Os outros também, um por um, começaram a virar em pó. Em menos de um minuto, todo o salão do palácio ficava vazio, com pequenas montanhas de pó por cada pessoa que estava presente, menos Ofelia. Uma forte tristeza envolveu ela, então caiu de seus joelhos em desespero. Queria as fadas uma outra vez, para mudar tudo e para ver Joaquim de novo. Com toda sua força pensou nas fadas, e lentamente, um vento começou a entrar no palácio. O pó começou a sair pelo ar, criando um ciclone pequeno em torno dela. Continuou assim até que não podia ver nada, tudo esteve escuro. Ela tinha esperança de ver Joaquim e as pessoas da festa outra vez.

Ela abriu seus olhos. Não viu o príncipe egípcio, não viu os bruxos, não viu os cristais do palácio. Ela estava na sua cama. Tudo era um sonho.

 

Giulia Seghezzo

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s